Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ)

Grande parte do relevo montanhoso e seus tipos vegetacionais estão protegidos pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), criado em novembro de 1939, o terceiro Parque Nacional do Brasil. O PARNASO inclui cerca de 12,000ha e alguns dos maiores picos do maciço da Serra do Mar, com altitudes variando entre 145 e 2,263 m. A entrada no PARNASO é permitida antes do horário normal (entre 08:00 e 17:00h) mediante a agendamento prévio e é cobrada a entrada para pessoas entre 5 e 60 anos de idade. Uma taxa única permite o acesso às dependências do PARNASO, incluindo a sub-sede em Guapimirim. Para o acesso a trilha da Pedra do Sino, outra taxa é cobrada. Mais informações sobre o PARNASO.

PARNASO (parte alta): A sede de Teresópolis, a cerca de 1100 m de altitude, possui uma rede de trilhas e estradas entre uma bela e bem preservada floresta montana, tornando o cenário perfeito para a observação de aves. A estrada da barragem tem início no centro de visitantes e segue por três quilômetros, por uma estrada de paralelepípedo, até a barragem do rio Beija-flor. A trilha Cartão Postal, Mozart Catão e do Sino são trilhas entre dois a seis quilômetros de caminhada entre florestas, taquarais e cachoeiras.  Outra atração é a trilha suspensa, uma ponte na altura do dossel florestal com 1300 m de extensão, paralela à estrada da barragem. Toda as trilhas e estradas recebem manutenção periódica, permitindo uma maior segurança durante a caminhada.

Na Serra dos Órgãos já foram registradas 458 espécies de aves. Neste destino, aves como o uru, o araçari-poca e o araçari-banana, o rabo-branco-de-garganta-rajada, a tovaca-de-rabo-vermelho, o arapaçu-de-garganta-branca, o joão-porca, o trepador-quiete, trepador-coleira, o limpa-folha-miúdo, o corocochó, a choquinha-de-dorso-vermelho, o olho-falso, o piolinho-chiador, o formigueiro-assobiador, o sanhaço-de-encontro-azul, o sanhaço-pardo e muitas outras espécies podem ser encontradas. Destaque para o alto número de espécies endêmicas do Brasil e da Mata Atlântica, além da ótima estrutura turística desta importante Unidade de Conservação.

PARNASO (parte baixa): A sub-sede do PARNASO, situada a cerca de 300 metros de altitude no município de Guapimirim, abriga espécies florestais típicas das florestas de baixada, assim como as de maiores altitudes.

Neste destino é comum observarmos o cuiú-cuiú, o surucuá-de-barriga-amarela, o andorinhão-estofador, a calcinha-branca, o piolinho-verdoso, o limpa-folha-coroado, a saíra-militar, saíra-de-sete-cores e muias outras aves que formam bandos mistos. A alta riqueza de espécies endêmicas da Mata Atlântica é o principal atrativo deste destino.